Tribunal de Justiça da Bahia
Sistema de Publicação de Conteúdo

DECRETO JUDICIÁRIO Nº 926, DE 10 DE OUTUBRO DE 2017.


                                                  DISPONIBILIZADO NO DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO NO DIA 11 DE OUTUBRO DE 2017


 

Adota medidas prevenindo e minimizando os impactos ambientais, sociais e econômicos advindos da prestação jurisdicional.

 

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições legais,

 

CONSIDERANDO que a política de sustentabilidade do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia estabelece como diretriz a harmonização dos objetivos sociais, ambientais e econômicos com vistas à preservação potencial da natureza para a produção de recursos renováveis, a limitação do uso dos recursos não renováveis e o respeito à capacidade de renovação dos sistemas naturais;


CONSIDERANDO as recomendações do Tribunal de Contas da União, dispostas no Acórdão nº 1056/2017, que trata das medidas de eficiência e sustentabilidade por meio do uso racional de energia, água e papel adotadas pela Administração Pública;


CONSIDERANDO a Resolução nº 201, de 3 de março de 2015, do Conselho Nacional de Justiça, que determina ao Poder Judiciário a adoção de modelos de gestão organizacional e de processos estruturados na promoção da sustentabilidade ambiental, econômica e social;


CONSIDERANDO que o uso sustentável de recursos naturais deverá ter como objetivos o combate ao desperdício e o consumo consciente e eficiente de insumos e materiais; e


CONSIDERANDO o quanto ficou aprovado na III Reunião de Análise Estratégica  - RAE pelo Comitê de Governança, ocorrida no dia 19 de setembro de 2017,

 

RESOLVE

 

Art. 1º Recomendar às unidades judiciárias do Poder Judiciário do Estado da Bahia a utilização de meios digitais para tramitação de documentos, comunicação e divulgação.


Paragrafo único. Na impossibilidade do cumprimento do quanto disposto no caput, a impressão dos acórdãos, sentenças, despachos e procedimentos administrativos deverá ser feita em modo frente e verso.


Art. 2º Recomendar à Secretaria de Administração – SEAD a adoção das medidas necessárias a promover a gradual substituição dos copos de água mineral por bebedouros/garrafões, com distribuição a todas as unidades do Poder Judiciário.


Parágrafo único. A gestão dos recursos hídricos no Tribunal de Justiça deverá se basear na implantação de programas de conservação de água, de modo a induzir o desenvolvimento de novas tecnologias que visem à economia de água por meio da redução do consumo, da detecção e correção das perdas, do aproveitamento da água da chuva e o reúso das águas servidas.


Art. 3º Recomendar à Secretaria de Tecnologia da Informação e Modernização – SETIM e à Secretaria de Administração – SEAD a elaboração de estudos e a implementação de efetivos mecanismos visando à redução de água para consumo e uso geral, de energia elétrica, telefonia (móvel e fixa) e combustível.


Parágrafo único. O estudo a que se refere o caput deste artigo deverá contemplar mecanismos que facilitem o recolhimento de resíduos sólidos e seu descarte consciente de forma adequada, visando conservar o meio ambiente, buscando a utilização das melhores práticas.


Art. 4º Recomendar à Secretaria de Tecnologia da Informação e Modernização – SETIM o  desenvolvimento de mecanismos que visem à modernização do Sistema Integrado de Gestão Administrativa - SIGA, dotando-o de confiabilidade, funcionalidade e praticidade na sua utilização, buscando o aperfeiçoamento contínuo de processos, serviços e entregas pelos fundamentos da sustentabilidade, bem assim a criação de um portal para divulgação das ações do Núcleo Socioambiental do TJBA.


Art. 5º Recomendar à Assessoria de Comunicação - ASCOM a elaboração de peças publicitárias visando fomentar o combate ao desperdício e o uso racional dos insumos e promover a conscientização e sensibilização dos servidores e jurisdicionados sobre a necessidade de efetiva proteção ao meio ambiente.


Parágrafo único. A ação midiática deverá promover o incentivo ao combate de todas as formas de desperdício dos recursos naturais, com a inclusão dos conceitos e princípios de sustentabilidade nos projetos, processos de trabalho, investimentos, compras e contratações de obras e serviços realizados por este Tribunal.


Art. 6º Recomendar à Universidade Corporativa – UNICORP do TJBA a capacitação dos servidores quanto aos temas afetos às questões de sustentabilidade.


Art. 7º As unidades que desenvolvam atividades e projetos de sustentabilidade encaminharão os respectivos projetos ao Núcleo Socioambiental.

 

Art. 8º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

 


GABINETE DA PRESIDÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, em 10 de outubro de 2017.

 


DESª MARIA DO SOCORRO BARRETO SANTIAGO

Presidente




5ª Av. do CAB, nº 560, Salvador/BA - Brasil. CEP 41745-971. Fone: (71) 3372-5686/5689.